Crosslinking

Crosslinking

Cirurgia de Crosslinking

O corpo clínico de oftalmologistas do COI Oftalmologia é especializado no diagnóstico, no tratamento e realização de crosslinkg. Contamos com os mais avançados aparelhos para a identificação da doença.

Além da alta tecnologia, também prezamos o bom atendimento, que vai desde a pontualidade até a atenção e cuidado total ao paciente.

O que é crosslinkg?

A cirurgia de crosslinking (ou crosslink) de córnea é um procedimento considerado bastante seguro para evitar a progressão do ceratocone. Durante essa cirurgia (ou procedimento) temos a aplicação de radiação ultravioleta sobre a córnea embebida em vitamina B2. Através dessa técnica, obtém-se assim um fortalecimento do colágeno corneano, impedindo dessa maneira o remodelamento responsável pela evolução do ceratocone.

Qual é a indicação da cirurgia de crosslinking (CXL)?

É um procedimento indicado para os casos de ceratocone em progressão. Essa progressão deve ser constatada pela topografia ou tomografia de córnea repetida em alguns meses (geralmente intervalo de cerca de 6 meses). Porém, nem todos os portadores de ceratocone em progressão poderão realizar o procedimento, sendo cada caso analisado e estudado pelo médico de maneira minuciosa. Pacientes em estágios iniciais são melhores candidatos em comparação àqueles em estágios mais avançados do ceratocone.

Como é a cirurgia de Crosslinking de Córnea (CXL)?

Na cirurgia de Crosslinking de Córnea, a primeira etapa é a retirada (“raspagem”) da camada mais superficial da córnea (epitélio). Essa etapa é importante para permitir a melhor penetração da riboflavina (vitamina B12) dentro da córnea.

Já na segunda etapa, é pingado durante 30 minutos o colírio de riboflavina, até deixar a córnea impregnada com esta substância.

Feito isso, realizamos a exposição da córnea durante um período variável à radiação ultravioleta. Em geral, deixamos por cerca de 5, 10 ou 30 minutos, dependendo do tipo de intensidade da luz ultravioleta utilizada.

A riboflavina ou vitamina B12 possui afinidade pela luz ultravioleta, fazendo com que haja uma maior absorção no estroma da córnea da luz. Com isso, permite um efeito final desejado que é o fortalecimento das fibras de colágeno da córnea (tornando a córnea mais rígida e “congelada”) com o intuito de evitar a progressão do ceratocone.

Dúvidas sobre a cirurgia de Crosslinking

No pós operatório da cirurgia de crosslinking o paciente fica com uma lente de contato gelatinosa para proteger e ajudar na cicatrização da córnea por cerca de 3 a 5 dias. A mesma é retirada após esse período pelo oftalmologista no consultório.

No dois primeiros dias há um leve desconforto. Esse incômodo é totalmente tolerável com o uso de colírios e comprimidos prescritos pelo especialista logo após o procedimento.

É recomendável o uso de óculos escuros para proteção da luz que costuma incomodar um pouco nos primeiros dias.

Conforme falado na pergunta anterior, apesar desse não ser o objetivo da cirurgia de crosslink, em cerca de 20 a 30% dos pacientes pode haver uma melhora da visão em até uma linha na escala de snellen. Como citado anteriormente, o principal objetivo da cirurgia de crosslink de córnea é evitar que haja progressão do ceratocone, fazendo que o paciente não precise no futuro de um transplante de córnea.

Sim, existe, e como dito anteriormente, o BOS (Banco de Olhos de Sorocaba) realiza esse procedimento pelo SUS. Porém, é importante ressaltar que o mesmo encontra-se disponível apenas para os pacientes moradores daquela região (Sorocaba).

Não, a cirurgia de crosslink não causa dor alguma. Isso é verdade uma vez que logo antes do procedimento, são instiladas cerca de 3 gotas de colírio anestésico no olho submetido ao procedimento.

Não é recomendado que se faça o crosslink de córnea durante a gestação, por motivos de segurança do bebê e da mãe.

No entanto, como sabemos, o ceratocone possui uma tendência a avançar durante a gravidez. Diante desse fato, toda portadora de ceratocone que esteja planejando engravidar deve se consultar com seu médico especialista em ceratocone com o intuito de avaliar a possibilidade de realização do procedimento antes da gravidez.

Na verdade não podemos comparar um procedimento com o outro, uma vez que cada um tem uma função diferente, sendo portanto incomparáveis.

O que podemos esclarecer é que tanto o crosslink quanto o anel de Ferrara são procedimentos extremamente eficientes quando realizados corretamente e com indicações precisas.

Atualmente, com a diminuição do preço da cirurgia de crosslinking, pacientes de qualquer nível de renda podem se beneficiar da operação do crosslink do colágeno de córnea, principalmente com a possibilidade do pagamento parcelado em cartão de crédito.

Outro ponto importante a se considerar é que todo o valor da cirurgia de crosslinking de córnea poderá ser reembolsado através da restituição de sua declaração de imposto de renda.