Estrabismo

Oftalmologista fazendo exame de estrabismo em paciente.

Especialistas em Tratamento de Estrabismo

O corpo clínico de oftalmologistas do COI Oftalmologia é especializado no diagnóstico e no tratamento de Estrabismo. Contamos com os mais avançados aparelhos para a identificação da doença.

Além da alta tecnologia, também prezamos o bom atendimento, que vai desde a pontualidade até a atenção e cuidado total ao paciente.

O que é estrabismo e como curá-lo?

O estrabismo é uma condição na qual os olhos não olham ao mesmo tempo para uma única direção. Conhecida vulgarmente como vesguice, acontece quando os olhos estão desalinhados ou “tortos”. Ou seja, não estão paralelos entre si.

A correção via cirurgia de estrabismo consiste em modificar ou alterar a musculatura ocular, através de diminuição ou alongamento dos mesmos. O intuito é sempre realinhar a visão do paciente, de modo que não haja mais desvio ocular.

A anestesia utilizada pode ser local ou tópica (em casos mais simples) ou geral (nos casos mais severos). Após a cirurgia, o paciente não precisa ficar internado e pode retornar para casa com seu acompanhante.

Nossos tratamentos de estrabismo

O tratamento para cura do estrabismo pode ser feito através de oclusão ocular, óculos ou lentes de contato ou em casos mais graves, através da cirurgia de estrabismo.

É importante salientar que quanto mais precoce e rápido o diagnóstico e tratamento, maior são as chances de cura.

Dúvidas sobre o estrabismo

Conforme falado mais acima, apesar de a maioria dos pacientes estrábicos não apresentarem sintomas, alguns podem se queixar dos seguintes:

  • Visão dupla (mais comum nos adultos, sendo raro em crianças);
  • Dor de cabeça (cefaléia);
  • Torcicolo (devido à inclinação da cabeça);
  • Sonolência;
  • Dor nos olhos.

Sim, tem sim. É importante salientar que quanto mais precoce e rápido o diagnóstico e tratamento, maior são as chances de cura.

O tratamento para cura pode ser feito através de oclusão ocular, óculos ou lentes de contato ou em casos mais graves, através de cirurgia.

É aquele desalinhamento dos olhos diagnosticados na infância.

É importante frisar que o desvio ocular em crianças até seis meses de vida, pode ser considerado normal, devido a uma imaturidade da musculatura ocular, ainda muito nova.

Após os 6 meses de idade, temos a obrigação de ficarmos alerta com o desalinhamento ocular do paciente e portanto procurar um especialista.

Sim, existe. Conforme falado anteriormente, quando ocorre antes de 6 meses de idade, devemos apenas observar. Isso porque, até essa idade, a musculatura do bebê ainda está “fraca” e imatura, podendo desviar sem que a causa seja uma doença.

Caso o problema persista após essa idade, é necessário que a criança seja avaliada por um estabológo.

O modo intermitente, também conhecido como alternante, ocorre quando os olhos estão normais e de repente desalinham, devido a alguma “fraqueza” muscular.

É muito comum ocorrer em situações em que o paciente esteja cansado, estressado, doente ou caso tenha vindo de noites mal dormidas ou esteja exposto ao sol muito forte.

Ou seja, nesse tipo de condição, o desvio ocular não ocorre o tempo todo, ocorrendo de vez em quando de maneira esporádica ou alternante.

Não, o estrabismo pode causar a ambliopia e redução da visão do paciente, caso não seja tratado adequadamente. No entanto, não é capaz de cegar.