Anel de Ferrara

Especialistas em Anel de Ferrara

O corpo clínico de oftalmologistas do COI Oftalmologia é especializado no diagnóstico, no tratamento e aplicação de Anel de Ferrara no Rio de Janeiro. Contamos com os mais avançados aparelhos para a identificação da doença.

Além da alta tecnologia, também prezamos o bom atendimento, que vai desde a pontualidade até a atenção e cuidado total ao paciente.

O que é e para que serve o Anel de Ferrara (ou anel estromal)?

O Anel de Ferrara (ou anel estromal) é composto de um material inerte e biocompatível ao olho, sendo o seu objetivo regularizar e diminuir a curvatura corneana, e consequentemente melhorar a visão. Além disso, esse dispositivo é capaz de diminuir ou corrigir os erros refracionais associados.

Qual a indicação para o implante do Anel de Ferrara?

A principal indicação ao implante do anel estromal intracorneano são casos de ceratocone com intolerância ao uso de lente de contato rígida e que não tenham boa visão com os óculos. Pode ser também usado nas outras ectasias corneanas, como degeneração marginal pelúcida, ectasia pós cirurgia refrativa (ceratotomia radial, PRK, LASIK) ou ceratoglobo para a regularização da superfície corneana.

Quais as vantagens do Anel de Ferrara?

As vantagens do implante do Anel de Ferrara (anel estromal) são:

  • Reversibilidade da cirurgia (ou seja, podemos desfazê-la) por indicação médica ou caso haja extrusão do anel (ou seja, o anel tenha saído da posição);
  • O fato de podermos ajustá-lo quando o resultado não tenha atingido o previsto;
  • A anestesia tópica com o uso de colírios;
  • Ausência de desgaste da córnea ou afinamento após o procedimento;
  • Estabilidade ao longo do tempo.

Dúvidas sobre o Ceratocone

O implante do anel estromal melhora a visão do paciente pois regulariza e aplana a superfície corneana (a qual no ceratocone está distorcida em formato de cone).

No ceratocone, por termos uma superfície distorcida, os raios de luz que atingem a córnea deformada, focalizam em diferentes pontos no interior do olho e retina, causando uma visão muito embaçada.

Ao regularizarmos a superfície corneana com o implante do Anel de Ferrara, a luz entra de maneira mais organizada no olho e tende a atingir a retina de maneira uniforme, gerando uma imagem mais nítida para o paciente.

O principal risco do implante do anel estromal é sua extrusão espontânea (deslocamento do anel de sua posição planejada), que ocorre em torno de 10% dos casos.

Outro risco menor inclui a infecção, que é tratada com antibióticos e a retirada do anel.

Sim, o implante do anel pode ser desfeito, voltando a condição anterior, sem nenhum problema.

Em alguns casos, pode ser inserido outro anel posteriormente para complementar o resultado, sendo a reversibilidade do procedimento (ou seja, podemos desfazê-lo) uma das grandes vantagens do Anel de Ferrara.

Não, não há rejeição ao material do Anel de Ferrara. O que pode ocorrer é a extrusão do anel (saída dele da posição original), o que no máximo levará o olho à sua condição pré implante.

A recuperação é bastante rápida, podendo o paciente voltar às suas atividades diárias em um curto período de tempo, em torno de 3 a 5 dias.

A contra-indicação ao implante do Anel de Ferrara ocorre quando há opacidade (perda na transparência) da córnea no eixo visual ou em casos de córneas com curvatura muito acentuadas (ceratometria acima de 75 dioptrias).

Estudos mostram que não há idade mínima para o implante do anel estromal. Seguindo os critérios de indicação, pessoas de qualquer idade podem usufruir dos seus benefícios.