Exames gratuitos em óticas são seguros? Tudo o que você precisa saber

em uma mesa de vidro que reflete as janelas de um prédio está um par de óculos de grau

Entenda por que não se deve confiar em exames gratuitos em óticas e de que forma essa atividade pode trazer problemas graves para seus olhos

Será que exames gratuitos em óticas são seguros? A resposta é não. O exame oftalmológico, popularmente conhecido como exame de vista, deve ser feito, pelo menos, uma vez por ano. Ele serve para avaliar, não apenas nossa capacidade visual, mas também para detectar uma série de problemas no globo ocular. 

Uma das investigações mais comuns é aquela realizada para detectar se temos problemas para ver de perto ou de longe. Provavelmente, você já deve ter visto propagandas desse tipo de teste em ruas e calçadões.

Leia as informações a seguir e descubra quais são os principais motivos para você não confiar a saúde dos seus olhos a esses estabelecimentos.

  1. Pode não ser realizado por profissionais habilitados

A maioria dos exames gratuitos em óticas é realizada por pessoas que não são habilitadas para exercer esse tipo de atividade. O único profissional que pode promover esse tipo de atividade é o médico oftalmologista.

  1. A consulta não é completa

Mesmo se a ótica contar com um oftalmologista, a consulta realizada não é completa. Como já dissemos no início deste artigo, a investigação da saúde ocular é muito mais complexa do que o teste de visão para perto ou para longe.

mulher loira de camisa branca fazendo exame gratuito em ótica

Confira também:  28 tipos de exames oftalmológicos

  1. Não considera o histórico do paciente

Uma consulta completa deve considerar o histórico familiar do paciente, sintomas, se já usa óculos ou lentes, entre outros quesitos. Geralmente, os exames gratuitos em óticas se pautam apenas no contexto atual e deixam todos esses fatores de fora da avaliação.

  1. Os testes são superficiais

Durante uma consulta com profissional capacitado, se você mencionar, por exemplo, que há casos de glaucoma em sua família, um exame completo será realizado. Isso não acontecerá se você estiver em uma ótica.

  1. Não considera variações no campo de visão

Um médico oftalmologista, durante a consulta, fará vários testes para investigar as características funcionais dos seus olhos. Essa checagem inclui movimentos e respostas, fatores que os exames gratuitos em óticas não consideram.

  1. Não leva em conta a idade do paciente

A partir dos 40 anos, é importante que você faça uma investigação mais complexa e detalhada da sua saúde ocular, já que a idade pode desencadear uma série de doenças. No entanto, as óticas costumam focar apenas nos índices do grau dos óculos e não consideram a importância de um acompanhamento completo nessa faixa etária.

  1. Não identifica o grau adequado de óculos

Basta acessar sites de reclamações para ter acesso a diversos casos de pessoas que tiveram problemas com óticas. A mais comum é a prescrição de receitas com grau errado de óculos, o que pode causar problemas ainda maiores.

  1. Não considera outros problemas oculares

Dependendo dos sintomas, pode ser que o uso de óculos ou mudança de grau não sejam suficientes para resolver o problema. Infecções, catarata, alergia, glaucoma, entre outros, não são detectados, o que pode agravar a situação e implicar na perda de visão.

  1. Realiza vendas casadas

Além de estar suscetível a uma série de problemas de saúde, se você realizar exames gratuitos em óticas, corre o risco de participar de uma atividade proibida por lei: venda casada. O Procon pede que esse tipo de prática seja denunciado.

técnica dentro de ótica usando um avental branco entrega um aparelho para exames oftalmológico à pessoa a sua frente

Para ajudar a entender: Conheça os 8 principais tipos de exames de vista realizados

  1. Infringe as normas do Ministério da Saúde

Fazer propaganda de exames de vista nas ruas, entregar panfletos e abordar pessoas nas portas das óticas é crime. Essa prática é proibida e consta no Manual de Publicidade Médica.

  1. Uso incorreto de equipamentos

Um dos aparelhos usados em consultório oftalmológico é o autorrefrator, aparelho de precisão que serve para detectar problemas de refração. Se manuseado por pessoas que não dominam essa técnica, ele pode induzir a resultados imprecisos.

Como você percebeu, os exames gratuitos em óticas podem oferecer mais prejuízos do que benefícios. Por isso, sempre vale muito mais a pena se consultar com um profissional de confiança devidamente habilitado para atuar como oftalmologista.

A Clínica de Oftalmologia Integrada está à disposição para fazer um acompanhamento minucioso da sua saúde ocular. Contamos com práticas e equipamentos inovadores que garantem precisão no diagnóstico e prevenção de doenças.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Ricardo Filippo

Ricardo Filippo

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.

Comentários