Microscopia especular: o que é e para que serve este exame?

tudinho sobre a microscopia especular

Seu oftalmologista solicitou esse exame? Descubra de que forma ele pode auxiliar no tratamento de uma série de doenças oculares

Quem realiza consultas regulares com o médico oftalmologista pode ser surpreendido em determinado momento com novos pedidos de exames. Um deles é a microscopia especular de córnea.

Esse nome pode causar receio e gerar preocupação. Por isso, para te tranquilizar, vamos explicar o que é, como é feito e em que situações esse exame deve ser realizado. Confira as informações a seguir.

Antes de qualquer coise, dê uma olhada neste vídeo sobre o exame:

O que é microscopia especular de córnea?

A microscopia especular de córnea é um exame que tem como principal objetivo analisar as células da camada mais profunda desse tecido do globo ocular. Ele avalia de maneira quantitativa e qualitativa se o órgão está acometido por algum tipo de degeneração.

Esse exame é solicitado antes de alguns procedimentos intraoculares, como cirurgia de catarata, glaucoma ou transplante de córnea. Além disso, ele também serve para diagnosticar e acompanhar a evolução de degenerações e distrofias da córnea.

A duração da microscopia especular de córnea é relativamente rápida. Na maioria dos casos, esse exame é realizado em, aproximadamente, 15 minutos.

Qual é a relação entre a microscopia especular de córnea e diagnóstico de catarata?

A catarata é uma doença que faz com que a lente natural do olho fique opaca. O olho fica com aspecto branco por conta da perda de transparência do cristalino, que decorre do processo natural do envelhecimento das células.

Esse é um processo lento, geralmente assintomático e que causa perda progressiva da visão. Por isso, nem sempre o paciente procura pelo oftalmologista no estágio inicial da catarata e quando o faz, a doença já está em um nível mais avançado.

O diagnóstico de catarata é feito após a realização de uma série de exames oftalmológicos. Um deles é a microscopia especular de córnea, indicado por grande parte dos oftalmologistas pelo fato de possibilitar um diagnóstico mais preciso.

Como já dissemos, esse exame serve para avaliar as pequenas células que revestem a camada profunda do olho, chamada de endoteliais. Na microscopia especular de córnea é feita a contagem e a análise da forma e do tamanho dessas células.

É importante que você saiba que as células endoteliais da córnea não se regeneram e têm um ritmo de perda de acordo com a idade e com o organismo. A degeneração tende a agravar algumas doenças da córnea e do globo ocular.

Por essa razão, é fundamental que todos esses detalhes sejam avaliados antes de cirurgias de catarata. Além disso, em casos extremos de grande índice degenerativo de células endoteliais, o mais indicado é o transplante de córnea para restituí-las.

Como é feito o exame?

A microscopia especular de córnea é indolor, de não contato e não invasiva. Se o seu médico solicitou esse exame, não se preocupe. No preparo, não é necessário dilatar a pupila e não há utilização de colírios, exceto em caso de edema de córnea.

Na maioria dos casos, não é necessário levar um acompanhante. Além disso, é possível dirigir normalmente após o exame. Por via das dúvidas, é sempre bom perguntar ao oftalmologista sobre esses cuidados.

Caso você use lentes de contato, será necessário tirá-las para realizar a microscopia especular de córnea. Na sala em que o exame será feito, é preciso encostar a região frontal do olho no aparelho.

O oftalmologista focaliza o equipamento apropriado para o exame na superfície da córnea para obter uma fotografia que será analisada digitalmente. Dessa forma, é feita uma análise computadorizada da imagem refletida na face posterior da córnea.

As células são avaliadas de acordo com o número por área, formato e tamanho. Com o laudo em mãos, o médico é capaz de determinar os procedimentos que deverão ser tomados durante a cirurgia de catarata ou da retina.

O objetivo é prevenir complicações e tomar todos os cuidados necessários para preservar as células endoteliais. É importante que você não suspenda medicamentos em usa para a realização da microscopia especular de córnea.

‍Agora que você sabe o que é o exame de microscopia especular de córnea, quando ele deve ser feito qual é a sua importância. Não se esqueça de procurar um médico oftalmologista regularmente.

Afinal, o cuidado com a saúde dos olhos deve ser constante. Dessa forma, é possível prevenir e diagnosticar doenças em estágio inicial, o que facilita a eficácia do tratamento.

médico de avental branco e gravata vermelha examinando olhos de paciente usando uma pequena lanterna dentro de seu consultório

Veja também: Cirurgia de estrabismo: o que você precisa saber sobre o assunto?

Quais são as indicações da microscopia especular?

O exame é indicado nos pré-operatórios de cirurgias intraoculares, como a correção da catarata, do glaucoma, no transplante de córnea, bem como nas degenerações e distrofias da córnea. Esse exame é indolor, não invasivo e de não contato, com duração aproximada de 5 a 10 minutos.

Ao realizar o exame, é indicado que o paciente não suspenda medicamentos em uso, mas suspenda o uso da lente de contato no dia do exame. Não há utilização de colírios na microscopia especular, a não ser em caso de edema de córnea.

Agora que você sabe o que é o exame de microscopia especular, quando ele deve ser feito e a importância de procurar um médico oftalmologista regularmente, você tem mais informações para cuidar bem da saúde dos seus olhos.

Gostou deste post? Então curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outros conteúdos como este!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Mario Filippo

Mario Filippo

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.
paciente realizando exame de vista - capa do conteúdo de retinopexia pneumática

O que é a Retinopexia Pneumática?

A cirurgia baseia-se em uma técnica minimamente invasiva, de rápida recuperação, e é uma alternativa comum para o tratamento do descolamento de retina regmatogênico. A

Comentários