Retinografia fluorescente: o que é, como funciona e preços

O exame de retinografia fluorescente é importante para diagnosticar lesões ou anomalias na retina, e é indicado para pacientes com diferentes tipos de doenças

A retinografia fluorescente, também conhecida como angiofluoresceinografia ou angiografia fluoresceínica, nada mais é do que um exame de imagem realizado na retina. 

A retina, por sua vez, trata-se de um fino revestimento que fica localizado próximo ao nervo óptico, e cobre a parte de trás do olho. Assim como outros tipos de exames oftalmológicos, a retinografia fluorescente é realizada com o objetivo de manter a saúde ocular dos pacientes. 

Vale destacar que, somente no primeiro trimestre de 2022, houve um aumento de 26% nos casos de glaucoma. Esse dado foi divulgado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia  – considerando informações do Ministério da Saúde. 

Com isso, podemos observar que a saúde dos olhos pode ter sido muito prejudicado nos últimos dois anos, devido a pandemia de Covid-19 e o isolamento em casa. 

Dito isso, se você tem interesse em saber qual o preço de retinografia, para que esse exame serve e como ele é realizado, continue a leitura! 

O que é exame de retinografia fluorescente?

A retinografia fluorescente é um procedimento médico no qual o médico oftalmologista injeta corante fluorescente (fluoresceína de sódio) ou contraste na corrente sanguínea. 

O corante ajuda a destacar os vasos sanguíneos na parte de trás do olho para que possam ser fotografados. 

Com essas fotos, o médico pode ver melhor não somente os vasos sanguíneos, mas também outras estruturas na parte de trás do olho. 

Quando o exame deve ser feito?

Geralmente, o exame é realizado para gerenciar possíveis distúrbios oculares. Um oftalmologista pode solicitá-lo para confirmar um diagnóstico, prescrever um tratamento adequado ou monitorar a condição dos vasos sanguíneos localizados na parte de trás do olho. 

Algumas das doenças que podem ser diagnosticadas com a retinografia fluorescente são: 

  • Edema macular – inchaço na retina que distorce a visão;
  • Retinopatia diabética – vasos sanguíneos danificados ou alterados no olho devido à diabetes;
  • Degeneração macular – doença que afeta a mácula, área central e vital da retina;
  • Bloqueio de veias dentro do olho;
  • Pucker macular – ruga na retina causada por acúmulo de líquido atrás dela;
  • Melanoma ocular – tipo de câncer que afeta o olho. 

Portanto, quando existe a suspeita que o paciente possui uma das doenças citadas acima, pode ser que o médico solicite a realização desse tipo de exame. 

Como é feito o exame de retinografia fluorescente?

O exame pode ser realizado no consultório do oftalmologista. Na maioria das vezes, ele dura cerca de 30 minutos. Entenda como o exame é feito: 

  • O médico oftalmologista ou um assistente pingar gotas de colírio em seus olhos para que a sua pupila se dilate.
  • Depois, um corante de cor amarelada (fluoresceína) ou contraste é aplicado em uma veia do paciente, geralmente em seu braço. Esse corante atinge os vasos sanguíneos do olho. Com isso, faz com que eles fiquem “fluorescentes” ou tenham um brilho intenso. 
  • Conforme o corante passa pela retina, uma câmera especial tirará fotos do olho. Essas fotos ajudam o oftalmologista a ver qualquer problema e, consequentemente, passar o tratamento ideal para o paciente. 

Quais são os efeitos colaterais e riscos do exame?

Ao realizar o exame, o paciente pode sentir alguns efeitos colaterais. Alguns deles são: 

  • Náusea e vômito;
  • Boca seca ou aumento de salivação;
  • Quando olhar para objetos, eles podem parecer escuros ou tingidos. Esse efeito colateral some em poucos minutos;
  • Pele um pouco amarelada. Isso acontece porque o corante passa por todas as veias do corpo. A pele volta ao normal depois de algumas horas;
  • Urina alaranjada ou amarelada por até 24 horas depois do exame. Isso acontece porque os rins filtram o corante do sangue;
  • Queimadura na pele se o corante vazar durante a injeção. O efeito some depois de alguns minutos. 

Embora seja muito difícil de acontecer, o paciente pode sofrer com reação alérgica ao corante de fluoresceína. 

Portanto, caso você tenha alergia a essa substância, pode ser que tenha urticária ou coceira na pele.

Além disso, muito raramente uma pessoa pode ter problemas respiratórios ou outros problemas sérios. As reações alérgicas podem ser tratadas com injeções ou comprimidos, que devem ser receitadas pelo médico.

Qual o preparo para fazer retinografia?

Quando se trata de preparo da retinografia fluorescente, é necessário que você providencie uma pessoa que possa buscá-lo no local do exame e levá-lo para casa. Isso porque as pupilas do paciente ficam dilatadas por até 12 horas após o exame. 

Além disso, também é importante informar ao médico antes do exame sobre qualquer tipo de prescrição, medicamentos de venda livre e suplementos de ervas que esteja tomando. 

Outra questão muito importante que deve ser informada ao oftalmologista é se você tem alergia ao iodo ou se está grávida. Caso use lentes de contato, é necessário retirá-las antes do exame. 

Quais são os resultados do exame? 

Depois que realizar o exame, você pode ter resultados normais ou anormais. Entenda como eles funcionam: 

Resultados normais

Se o seu olho estiver saudável, os vasos sanguíneos terão forma e tamanho normais. Não haverá bloqueios ou vazamentos nas embarcações.

Resultados anormais

Resultados anormais revelarão um vazamento ou bloqueio nos vasos sanguíneos. Isso pode ser devido a:

  • Um problema circulatório;
  • Câncer;
  • Retinopatia diabética;
  • Degeneração macular;
  • Pressão alta;
  • Um tumor;
  • Capilares aumentados na retina;
  • Inchaço do disco óptico.

Quanto custa um exame de retinografia fluorescente?

Agora que você já sabe o que é esse exame, como ele é feito e quais são os seus riscos, deve estar se perguntando “Qual é o preço de retinografia fluorescente?”. 

A definição para o valor de qualquer tipo de exame depende muito de diferentes fatores. No caso da retinografia, isso não é diferente. 

Algumas questões que podem influenciar no valor total do exame são: 

  • Localização;
  • Experiência do médico;
  • Clínica oftalmológica;
  • Equipamentos e materiais utilizados e assim por diante. 

No entanto, geralmente, o exame custa por volta de R$400. Porém, tenha em mente: o valor pode variar bastante dependendo do local que realize o exame. 

Onde fazer o exame? 

No momento de escolher o local onde você realizará um exame oftalmológico, é crucial pesquisar por opções confiáveis, que contem com médicos especialistas, que saibam o que estão fazendo. 

Afinal, estamos falando de um procedimento que, embora seja simples, conta com a aplicação de contraste ou corante na veia. 

Portanto, se você tem dúvidas sobre onde fazer esse exame, não economize esforços para escolher a opção ideal para você. 

 A COI (Clínica de Oftalmologia Integrada) está localizada no Rio de Janeiro e conta com uma equipe formada por oftalmologistas confiáveis, que entendem as necessidades dos pacientes e oferecem as melhores soluções para eles. 

Então, se você está em busca de uma clínica oftalmológica no Rio de Janeiro, entre em contato conosco e agende a sua consulta! 

Agência Hedgehog

Agência Hedgehog

Comentários