O que é protanopia: entenda esse tipo de daltonismo

Homem cobre os olhos com as mãos devido a protanopia

Protanopia é um termo científico utilizado para um determinado tipo de daltonismo, condição médica que também é conhecida como deficiência na visão das cores. 

Conseguir visualizar as cores é algo importante para o nosso dia a dia, mas nem todos temos a mesma visão do mundo. Algumas pessoas enxergam as cores de forma diferente, e outras nem mesmo conseguem vê-las. 

Nossa capacidade de enxergar as cores depende da presença e função de pigmentos sensores de luz nos cones dos olhos. O daltonismo ocorre quando um ou mais desses cones não funcionam. 

No caso da protanopia, resumidamente, a pessoa não consegue enxergar uma determinada cor, que é a vermelha. 

Neste artigo, falaremos mais sobre o que é protanopia, quais são os tipos de daltonismo, quais testes podem ser feitos para identificar a condição e muito mais. Confira!

O que é protanopia?

Para entender o que é protanopia, antes é importante compreender que os cones dos olhos são responsáveis por produzir a visão das cores. 

Dentro dos cones dos olhos encontram-se determinadas substâncias, que são chamadas de fotopigmentos. Elas identificam diferentes comprimentos de onda de luz:

  • Cones de comprimento de onda curta: identificam o azul;
  • Cones de comprimento de onda médio: identificam o verde;
  • Cones de comprimento de onda longa: identificam o vermelho. 

Pessoas que têm os três tipos de cones trabalhando em plena capacidade são chamadas de tricromatas e significa que elas podem ver milhares de cores. Neste caso, a visão normal pode ser chamada de tricromacia. 

Mas, então, o que é o daltonismo do tipo protanopia? 

A protanopia (tipo de daltonismo) acontece quando os cones de comprimento de onda longa não existem ou possuem disfunções. 

O daltonismo ocorre devido a um gene recessivo ligado ao cromossomo X. Por esse motivo, os homens têm maior chance de serem afetados com a condição do que as mulheres. 

Isso acontece porque os homens possuem apenas um cromossomo X. Logo, exigem apenas uma alteração genética para que a condição aconteça. Já as mulheres possuem dois cromossomos X e, com isso, precisariam de duas alterações genéticas. 

Quando o indivíduo tem daltonismo do tipo protanopia, a sua visão tem dificuldade em encher a cor vermelha. Como resultado, as cores quentes passam a ter um tons marrons. Enquanto isso, as tonalidades em verde tendem a ficar desbotadas. 

Em alguns casos raros, o daltonismo ocorre no decorrer dos anos e não é uma herança genética. Também existem alguns outros fatores que podem danificar as células da retina e provocar deficiência na maneira que enxergamos as cores, como: 

  • Diabetes;
  • Glaucoma;
  • Catarata;
  • Lesões neurológicas;
  • Leucemia;
  • Processo natural de envelhecimento;
  • Uso de medicamentos, como: antipsicóticos e antibióticos. 
  • Produtos químicos, como: estireno e dissulfeto de carbono. 

Quais são os tipos de daltonismo? 

Além da protanopia, onde a visão das pessoas é atingida com a ausência ou diminuição da cor vermelha, também existem mais dois tipos de daltonismo: deuteranopia e tritanopia.

Deuteranopia

No caso das pessoas que possuem deuteranopia, não conseguem enxergar tons esverdeados. Com isso, essas tonalidades ficam em tons de cinza. 

Já o roxo fica em tons de azul e as cores quentes ficam com tonalidade amarronzada. 

É importante deixar claro que deuteranopia pode parecer a mesma coisa que deuteranomalia, mas não é. 

Mas, o que significa deuteranomalia? 

Deuteranomalia é uma condição onde a pessoa geralmente consegue ver alguns tons de verde. 

Tritanopia

É comum que as pessoas não saibam o que é tritanopia ou nem saibam que ela existe, já que esse é o tipo de daltonismo mais raro. 

As pessoas que possuem essa condição não conseguem enxergar os tons de azul e amarelo. Nesse caso, o indivíduo só consegue ver tonalidades parecidas ao rosa.

Como identificar a protanopia 

Agora que você já sabe quais são os tipos de daltonismos, pode ser que surja a seguinte dúvida: qual tipo de daltonismo eu tenho? 

Se você desconfia que tem a capacidade reduzida (ou nenhuma) de enxergar as cores, é importante saber que existem determinados exames para identificar a protanopia ou outros tipos de condições de daltonismo. 

Fazer teste de daltonismo é a melhor forma de saber se você realmente tem a condição. Eles são: 

Anomaloscópio de Nagel

Este exame é realizado com um aparelho que divide o campo de visão e emite luzes em cores diferentes para cada lado. 

Para uma metade, ele emite uma luz na cor amarela e para outra metade emite luzes em verde e vermelho. 

Durante o teste o paciente deve tentar igualar as cores de ambos campos da visão, alterando a intensidade de cada cor. Isso é feito através do controle de botões. 

Com isso, o oftalmologista conseguirá comparar os tons reais de cores e os que o paciente enxerga. 

Lãs de Holmgreen

Este é um teste simples onde o paciente tem acesso a lãs em diferentes cores e precisa separar os fios em grupos, como consta no gabarito do profissional que irá aplicá-lo. 

A avaliação do teste tem como objetivo verificar qual é a distorção da ordem das cores que o paciente apresenta. 

Teste Ishihara

Por fim, mas não menos importante, está o teste Ishihara, que é o mais utilizado para fazer o diagnóstico de daltonismo. 

O exame é aplicado com o auxílio de uma série de placas com cores e tem como objetivo testar a adequação da visão às tonalidades. 

Cada placa colorida utilizada no exame possui pequenos pontos coloridos. Alguns deles são organizados no centro das placas e formam um símbolo ou número. 

Se a visão do paciente for normal, ou seja, ele conseguir enxergar todas as cores, poderá ver e identificar o número ou símbolo na placa. O tipo de daltonismo que o indivíduo possui irá determinar o que ele consegue ou não ver nas placas. 

Tratamentos para protanopia e outros tipos de daltonismo

Será que a protanopia tem cura? Será que o daltonismo tem cura? Essas são dúvidas comuns relacionadas ao daltonismo e a grande questão é que, por mais que a ciência tenha evoluído muito sobre o assunto, a condição ainda não tem cura. 

Para que o daltonismo seja curado, a ciência ainda precisará fazer alguns avanços significativos na terapia genética. 

No entanto, hoje em dia, existem algumas soluções que oferecem benefícios às pessoas que possuem a condição, como lentes de contato específicas para daltonismo e óculos daltônicos.

Desde 2010 os óculos EnChroma foram lançados e se tornaram uma ótima solução para quem possui algum tipo de daltonismo. 

Porém, é sempre importante falar com um médico antes para saber se tanto os óculos daltônicos quanto as lentes de contato para daltonismo são realmente adequadas para sua condição. 

O daltonismo não é uma doença grave, mas é muito importante que seja diagnosticado para que o paciente possa fazer adaptações e evitar possíveis problemas ou dificuldades por ter a condição. 

Se você precisa fazer um checkup para manter a saúde dos seus olhos, ou desconfia que tem algo errado com a sua visão, conte conosco, da COI, para receber atendimento, diagnóstico e tratamento ideal para a sua condição. 

Clique aqui e agende a sua consulta com um de nossos especialistas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Ricardo Filippo

Ricardo Filippo

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.

Comentários