Cirurgia refrativa: principais riscos para a visão

Pessoa na mesa de cirurgia refrativa

Quando o assunto é cirurgia refrativa, riscos existem e por isso é essencial fazer uma reflexão antes de decidir passar pelo procedimento. 

Existem diversos motivos para os pacientes procurarem por uma cirurgia refrativa, mas a principal delas é não precisar acordar pela manhã procurando por óculos ou gastando tempo colocando as lentes de contato. 

A maioria também deseja desfrutar do trabalho e lazer tendo uma visão clara. No entanto, a ideia de cirurgia ocular — e estar acordado durante isso — pode ser assustadora. 

Entender sobre cirurgia refrativa e riscos relacionados ao procedimento é algo essencial para qualquer paciente, inclusive os que não estão com medo da situação. 

Embora esse medo seja real para algumas pessoas, a cirurgia refrativa tem sido muito procurada nos últimos anos e isso provavelmente deve aumentar. 

Isso porque, devido a pandemia de Covid-19, a visão de muitas pessoas está sendo prejudicada — já que elas estão passando mais tempo em frente a telas de computador e TV. Inclusive, o número de diagnósticos de miopia aumentou durante a pandemia

Compreender os riscos da cirurgia refrativa e escolher um local confiável para realizar o procedimento é essencial para qualquer paciente. 

Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Como funciona a cirurgia refrativa

Resumidamente, os olhos possuem uma camada externa que se chama córnea. Em algumas pessoas, essa camada pode sofrer alterações em sua forma, o que pode gerar alguns problemas de visão, como: 

A cirurgia refrativa (cirurgia ocular a laser) é um procedimento que tem como objetivo remodelar o formato da córnea. 

Se você está considerando realizar esse procedimento, é muito importante entender como a cirurgia refrativa é feita. Ela costuma ser rápida, cerca de 30 minutos, e as pessoas permanecem acordadas durante o procedimento. 

Geralmente, também é indolor, já que um anestésico é aplicado. Se o indivíduo sente dor, geralmente é porque pode ter ocorrido alguma complicação.

Antes de realizar o procedimento também é preciso entender os tipos de cirurgia refrativa disponíveis.

Cirurgia PRK vs. Cirurgia LASIK

É importante deixar claro que existem dois tipos comuns de técnicas aplicadas quando se trata de cirurgias refrativas, sendo elas: PRK e LASIK. 

A escolha da técnica dependerá muito de cada caso e é escolhida de acordo com a indicação do oftalmologista. Entenda as duas técnicas: 

  • PRK: o cirurgião precisará retirar o epitélio (tecido com células) do paciente e aplicar o laser sobre o estroma (camada mais consistente da córnea). Depois, deverá colocar uma lente de contato para que a área operada seja protegida e esperar o epitélio se recuperar. 
  • LASIK: nesta técnica, um “flap” é criado — como se fosse uma aba ou tampa — entre o epitélio e o estroma. Após isso, o laser é aplicado no estroma, e o flap retorna para a sua posição original. 

Valor da cirurgia refrativa

O valor da cirurgia refrativa pode variar muito de acordo com a técnica utilizada, localização do paciente e o cirurgião que irá realizá-la.

No entanto, a média de valor da cirurgia costuma variar entre R$1.000 e R$3.000 por olho. 

Oftalmologista se prepara para cirurgia de deslocamento de retina

Quem pode e quem não pode fazer a cirurgia?

Pessoas que possuem as condições de miopia, astigmatismo ou hipermetropia podem consultar um médico oftalmologista para saber se podem realizar a cirurgia refrativa. 

No entanto, a cirurgia refrativa a laser nos olhos não é indicada para pessoas que: 

  • Tiveram uma mudança em sua prescrição oftalmológica nos últimos 12 meses;
  • Tomam medicamentos que podem causar alterações na visão;
  • Têm 20 anos ou menos, embora alguns especialistas recomendem não ter menos de 18 anos;
  • Tem córneas finas, que podem não ser estáveis ​​após a cirurgia a laser
  • Está grávida ou amamentando. 

Cirurgia refrativa riscos: quais são eles e como evitá-los

Quando o assunto é cirurgia refrativa, muitas dúvidas podem surgir, como: Será que a cirurgia refrativa pode cegar? Será que ela realmente é eficiente? 

Assim como qualquer outro procedimento, a cirurgia para refração também possui os seus riscos. 

No entanto, uma pessoa tem mais risco de desenvolver complicações se tiver as seguintes condições oculares: 

  • Infecções oculares, como ceratite ou herpes ocular;
  • Catarata;
  • Glaucoma;
  • Pupilas grandes;
  • Ceratocone.

As principais complicações da cirurgia refrativa incluem: 

  • Olhos secos;
  • Aumento da sensibilidade à luz;
  • Visão dupla ou embaçada;
  • Infecção ocular;
  • Complicações do retalho corneano;
  • Olhos vermelhos. 

Geralmente, os sintomas desaparecem após os primeiros dias. No entanto, caso eles persistam, é muito importante procurar o médico para que ele possa verificar o que está acontecendo. 

E como é a recuperação? 

Após o procedimento cirúrgico, os médicos costumam indicar um remédio leve para ajudar com os sintomas do pós-operatório. 

Eles também podem fornecer às pessoas um protetor ocular, que tem como objetivo proteger os olhos enquanto eles se recuperam da cirurgia. O protetor é importante para que o paciente não consiga esfregar o olho ou aplicar pressão acidentalmente nele, por exemplo, enquanto dorme. 

Além disso, precisa de alguns dias para a recuperação ocular, por isso deve manter repouso e evitar trabalho e telas. Além disso, é necessário agendar uma consulta com o oftalmologista — conforme a solicitação dele — para que o profissional consiga verificar como está a cicatrização do olho. 

Também nos primeiros meses após a cirurgia refrativa a pessoa poderá ter uma visão flutuante. Ou seja, em alguns momentos do dia terá uma visão melhor do que em outros. 

E qual é a chance da cirurgia refrativa dar errado? 

Algumas pessoas têm dúvidas se a cirurgia refrativa é definitiva. A regressão da condição tratada pode ocorrer, e refere-se à tendência do olho de voltar um pouco para sua prescrição original após a correção da visão a laser. 

Se sua visão regride, você pode precisar de um procedimento de aprimoramento (retoque) ou precisar de óculos após a cirurgia a laser

Na maioria dos casos, a regressão experimentada é mínima e é contabilizada ao planejar seu procedimento. Em alguns casos, óculos para dirigir à noite pode ser tudo o que é necessário para um paciente que apresenta regressão.

É essencial que você entenda o máximo possível sobre os riscos associados ao procedimento. O risco de ter uma complicação grave que ameace a visão é muito menor que 1%.

Faça uma boa escolha para evitar os riscos da cirurgia refrativa

A cirurgia refrativa vale a pena, desde que você procure por um profissional capacitado para indicar o melhor tipo de ética e realizar um procedimento seguro. 

Se você está em busca de oftalmologistas em Campo Grande no RJ, conte com a COI oftalmologia! 

Nosso quadro de profissionais é composto por médicos oftalmologistas que compreenderão a sua necessidade e indicarão o tratamento apropriado para manter a saúde dos seus olhos.

Clique aqui para falar conosco e agendar a sua consulta! 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Ricardo Filippo

Ricardo Filippo

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.

Comentários