Como funciona a cirurgia PRK, quais as técnicas para fazê-la e como é o pós-operatório

Médico cirurgião.

A cirurgia PRK é realizada com um laser e tem como objetivo corrigir erros de refração. Entenda como o procedimento funciona e quando ele é indicado. 

Se você sofre com algum tipo de erro de refração em seus olhos, provavelmente já ouviu falar ou em algum momento encontraria informações sobre cirurgia PRK. Porém, será que esse tipo de procedimento é adequado para você? 

A PRK (ceratectomia fotorrefrativa) é uma cirurgia refrativa, realizada pela primeira vez em 1987, mas que só passou a ser oferecida comercialmente a partir da década de 90. 

Esse procedimento cirúrgico é realizado com o objetivo de promover correção visual de erros refrativos, como miopia, astigmatismo e hipermetropia. Vale destacar que esse tipo de cirurgia é muito procurada, já que existe uma grande quantidade de pessoas com erros refrativos. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou que existe uma projeção que, até 2050, metade da população global seja míope. No Brasil, entre 2020 e 2040, a quantidade de brasileiros com miopia pode aumentar de 6,6 milhões para 12,2 milhões.  

Continue a leitura e entenda melhor o que é a cirurgia PRK, para quais casos ela é indicada, como é a sua recuperação e outras questões relacionadas ao assunto. Boa leitura! 

O que é a PRK?

A PRK é uma técnica de cirurgia ocular a laser. Em outras palavras, ela é realizada com o uso de um laser para fazer a correção de algum problema de refração no olho. 

Como já dito, mas é importante reforçar, miopia, hipermetropia e astigmatismo são alguns exemplos de erros de refração. De acordo com as necessidades de cada paciente, é possível realizar o procedimento cirúrgico em apenas um ou em ambos os olhos. 

Nessa técnica cirúrgica, a córnea – parte frontal clara do olho – passa por uma remodelação. Assim, é possível melhorar a capacidade de foco do olho. 

É importante deixar claro que a PRK não é a única cirurgia ocular realizada em casos de problemas de refração. Existe também a LASIK, outra técnica de cirurgia que pode ser aplicada. 

A indicação do tipo de cirurgia mais adequada para o paciente deve ser feita por um oftalmologista.

Como funciona a cirurgia de PRK?

Para que a cirurgia seja realizada, primeiro o oftalmologista aplicará algumas gotas de colírio anestésico nos olhos (ou no olho) do paciente. Ele também pode perguntar se a pessoa gostaria de tomar um sedativo leve, caso o paciente esteja nervoso. 

Depois, o cirurgião colocará um espéculo ocular – instrumento utilizado por oftalmologistas – sobre os olhos para evitar que a pessoa pisque. Em seguida, seu cirurgião removerá a camada superior das células da córnea (o epitélio) para acessar a próxima camada da córnea. 

Depois que o epitélio for removido, o paciente deve focar em uma luz alvo. Enquanto estiver concentrado, o cirurgião usará um laser extremamente preciso e controlado por computador para remodelar a córnea. Todo o processo geralmente leva menos de 10 minutos por olho.

Finalmente, o cirurgião coloca uma lente de contato gelatinosa sobre a córnea, como uma espécie de curativo. O paciente descansará os olhos por alguns minutos e depois é liberado.

Quando a técnica PRK é indicada?

Se você tem olhos secos ou córneas finas, e deseja fazer uma cirurgia refrativa, o PRK pode ser uma boa escolha para você. Isso ocorre porque alguns outros tipos de cirurgia refrativa, como LASIK, não são recomendados se você tiver essas condições.

Além disso, se você tem um estilo de vida ou trabalho muito ativo, o PRK pode ser uma opção melhor do que o LASIK ou procedimentos semelhantes. 

Isso ocorre porque o PRK não envolve o corte de uma aba na córnea, como o LASIK e semelhantes. Se você é muito ativo, pode deslocar acidentalmente uma aba da córnea, causando problemas.

Algumas pessoas que têm certas lentes colocadas em seus olhos durante a cirurgia de catarata podem ter PRK para ajustar sua visão.

Para ter PRK, você precisa atender a alguns requisitos:

  • Ter 18 anos ou mais (idealmente, mais de 21 anos, quando é mais provável que a visão tenha parado de mudar);
  • A receita oftalmológica não deve ter mudado no último ano;
  • O erro de refração deve ser aquele que pode ser tratado com PRK;
  • As córneas precisam estar saudáveis ​​e sua saúde ocular geral deve ser boa;
  • Você precisa ter expectativas realistas sobre o que o PRK pode ou não fazer por você.

A PRK não é recomendada para pessoas com:

  • Um erro de refração instável (mudança);
  • Pele ou outra doença que pode afetar a cicatrização;
  • Cicatrizes ou doenças da córnea;
  • Glaucoma avançado;
  • Uma catarata afetando a visão;
  • Diabetes descontrolada;
  • Mulheres grávidas ou amamentando;
  • História de certas infecções oculares.

Seu oftalmologista pode conversar com você sobre outras condições que podem impedi-lo de ter PRK.

Qual a melhor técnica: LASIK ou PRK?

As cirurgias de PRK e LASIK foram desenvolvidas para corrigir erros de refração e costumam oferecer bons resultados. Ambos os procedimentos utilizam laser e também costumam demorar o mesmo tempo para serem executados. 

Quando se trata da PRK, o médico remove e descarta a camada epitelial externa da córnea para remodelar a córnea. Com o tempo, essa camada que foi removida volta a crescer. 

Já no caso da LASIK, o oftalmologista cria uma aba na camada epitelial e a remove para remodelar a córnea por baixo. Essa aba é presa à córnea e é colocada no lugar durante o procedimento. 

O que faz com que uma pessoa realize um procedimento e não o outro é a situação de sua córnea. Por exemplo, para fazer a LASIK, é necessário que o paciente tenha tecido corneano suficiente para que a “aba” seja feita. Por esse motivo, o procedimento não é indicado para quem tem córneas finas. 

Quais os riscos da cirurgia PRK?

Como qualquer procedimento cirúrgico, a cirurgia PRK traz riscos de problemas ou complicações que você deve considerar. Esses incluem:

  • Brilho e halos ao redor das luzes, principalmente à noite;
  • Cicatriz da córnea;
  • Nebulosidade da córnea (chamada neblina da córnea);
  • Infecção da córnea.

A maioria das complicações pode ser tratada sem qualquer perda de visão. Juntos, você e seu oftalmologista podem avaliar os riscos e benefícios do PRK.

Como fica a visão após PRK?

Na maioria dos casos, a visão fica um pouco embaçada durante os primeiros dias de recuperação. Entretanto, melhora significativamente nos próximos dias.  

É importante saber que o PRK não pode corrigir a presbiopia. Esta é a perda normal da visão de perto relacionada à idade. Com ou sem cirurgia refrativa, quase todo mundo que tem excelente visão de longe precisará de óculos de leitura por volta dos 40 anos.

Portanto, depois de realizar a cirurgia PRK, é comum que os pacientes tenham uma melhoria na visão, devido a correção do erro refrativo. 

Qual o tempo de recuperação PRK?

O paciente pode ter a recuperação de 90% da visão em cerca de duas semanas e 100% em três meses. 

Quando se trata de cirurgia PRK e recuperação, é importante esclarecer que o paciente não deve programar mais nada para o dia da realização do procedimento, além de descansar. 

Caso note algum sinal de infecção ocular, é extremamente importante ligar o quanto antes para o médico. Alguns sinais são: 

  • Vermelhidão;
  • Pus;
  • Inchaço;
  • Febre. 

Também é importante entrar em contato com o oftalmologista caso a lente de contato da bandagem se desloque ou caia. Geralmente, depois de 7 dias é necessário retornar ao consultório do médico para remover essas lentes dos olhos. 

Qual o valor da cirurgia PRK?

Assim como acontece com outros tipos de procedimentos cirúrgicos, o valor da cirurgia PRK depende muito de diferentes fatores. 

O preço final com o procedimento vai depender do local onde ele será realizado – estado, cidade, clínica –, cirurgião, técnica, exames oftalmológicos necessários, e assim por diante. 

No entanto, na cidade do Rio de Janeiro, a média de preço costuma variar entre R$2.500 e R$4.000 por olho. 

Onde fazer a cirurgia PRK?

Não importa se você tem interesse em realizar a cirurgia PRK, LASIK ou qualquer outro tipo de técnica, é fundamental que o primeiro passo seja procurar um oftalmologista confiável. 

Antes de qualquer decisão é importante conversar com o médico para que ele esclareça como a cirurgia funciona e tire todas as suas dúvidas. 

Tenha em mente que essa cirurgia é indicada para a correção de erros refrativos. Portanto, caso tenha esse tipo de problema de visão, fale com um especialista para saber se um procedimento cirúrgico é uma boa opção para você. 

Se você está em busca de uma Clínica Oftalmológica no Rio de Janeiro, entre em contato com a COI Oftalmologia! Clique para solicitar o agendamento da sua consulta com um de nossos especialistas e esclareça suas dúvidas sobre cirurgia refrativa!

Dr. Ricardo Filippo

Dr. Ricardo Filippo

CRM: 5281096-7 | RQE: 17512. Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Veja informações sobre sua experiência na área.
Mulher sorrindo usando o computador de óculos

O que é a falsa miopia?

A falsa miopia é um problema ocular que afeta de forma temporária a capacidade da pessoa enxergar objetos distantes. Veja quais os sintomas dessa condição

Imagem de um teste de diabetes sendo realizado na mão

Como a diabetes pode afetar a visão?

A diabetes afeta a visão quando o nível de glicose do sangue está alto, provocando alterações oculares que podem causar o desenvolvimento de doenças como

Comentários