Principais doenças das pálpebras e como cuidar

Homem de blazer tocando as pálpebras com expressão de desconforto

As pálpebras funcionam como janelas que protegem os olhos de invasores externos

Você já parou para pensar sobre a importância dos cuidados com as pálpebras para o funcionamento dos nossos olhos? Conheça as principais doenças das pálpebras e suas formas de tratamento e prevenção.

É comum não ter atenção com as pálpebras. Isso pode gerar complicações e dor, pois elas são tecidos (dobras finas de pele e músculos) responsáveis pela proteção do órgão contra a luz e poluentes que podem causar danos à visão. Saiba como neste artigo.

O que causa inchaço nas pálpebras?

Terçol

O terçol, também conhecido como hordéolo, é a doença das pálpebras mais comum e costuma ser provocada por uma inflamação em glândulas presentes na parte externa superior, causada por infecção bacteriana.

Coçar os olhos com as mãos, compartilhar colírios ou materiais de maquiagem podem provocar a infecção. Os sintomas podem começar com  o aparecimento de uma bolinha na borda externa da pálpebra,  dor, coceira e sensibilidade à luz.

Apesar de, em alguns casos, o terçol secar e desaparecer naturalmente, pode ser necessário um acompanhamento oftalmológico. O médico pode prescrever pomadas ou colírios antibióticos para combater a infecção.

Mulher tocando os olhos por ter doenças das pálpebras

Calázio 

É uma inflamação não infecciosa que atinge glândulas localizadas na região interna das pálpebras. Ela é causada pela obstrução de dutos responsáveis pela drenagem de secreções do olho.

Isso gera a  formação de uma massa de tecido inflamado (crosta de secreção) que pode causar dor e inchaço. Para o tratamento do calázio, é importante consultar o oftalmologista e  seguir as orientações do profissional. 

Veja também: Saúde dos Olhos em Home Office, como cuidar da visão trabalhando de casa

Blefarite 

É uma disfunção nas glândulas sebáceas (responsáveis pelo auxílio na lubrificação) que causa inflamação na região dos cílios. 

O funcionamento do filme lacrimal, revestimento responsável pela proteção da película ocular, fica comprometido com a blefarite. Nesse processo, começam a se formar “caspas” na borda externa das pálpebras.

A blefarite é comum em pessoas com pele oleosa. Os sintomas podem ser ardência, vermelhidão, coceira e sensação de areia nos olhos ou nos cílios. 

Tumores palpebrais 

Diferentemente das doenças das pálpebras citadas anteriormente, de natureza leve, os tumores que atingem a região das pálpebras podem trazer consequências mais graves para a saúde dos olhos, principalmente se forem de natureza maligna (cancerígena).

São tumores de pele que costumam acometer, além das pálpebras, a região do rosto, orelhas e o dorso do nariz. Eles podem ser causados pela exposição excessiva ao sol, tabagismo, exposição à radioterapia, entre outros.

Os tumores benignos são menos graves, parecidos com pequenas verrugas que crescem gradualmente na região atingida e não costumam apresentar ulcerações e sangramentos. Os principais tipos são a queratose seborréica e o papiloma.

Já os malignos são lesões causadas pelo desenvolvimento de células cancerígenas e costumam apresentar sinais como ulceração, sangramento, nódulos, crostas endurecidas, pigmentação heterogênea, perda de cílios e destruição da borda da pálpebra.

O tratamento dos tumores depende de um diagnóstico realizado por meio de biópsia da lesão, que indicará se o material celular removido é benigno ou maligno.

Um homem diante do computador está tocando seus olhos por baixo dos óculos

Quais são as principais alterações no desenvolvimento das pálpebras?

As pálpebras podem sofrer alterações no seu desenvolvimento, causadas por fatores externos ou congênitos. As mais comuns são o ectrópio palpebral e a ptose.

Ectrópio palpebral

Alteração que costuma atingir indivíduos de idade mais avançada, em que ocorre o afastamento da margem da pálpebra de sua posição anatômica. Ela pode ser classificada em 3 tipos: 

Cicatricial: causado pela cicatrização de queimaduras, lesões ou inflamações.

Paralítico: causado pela perda de tônus muscular da pálpebra inferior devido a paralisia do nervo facial.

Congênita: causado por má formação ocular congênita, costuma atingir crianças com Síndrome de Down.

Os sintomas do ectrópio palpebral são lacrimejamento constante, olhos vermelhos, ardência e ceratite (inflamação da córnea). O tratamento pode ser realizado com colírios e pomadas oftalmológicas. A cirurgia é recomendada em casos mais graves. 

Ptose palpebral

É a condição que provoca a queda da pálpebra superior, podendo ser responsável pela diminuição do campo de visão, sensação de peso sobre os olhos e alteração da posição normal da cabeça.

A Ptose pode ser congênita ou adquirida. O tratamento pode ser realizado por meio da realização de exercícios visuais como massagens na região das pálpebras, estímulos para o ato de piscar, alongamentos para o pescoço e alongamento das pálpebras.

Em casos mais severos pode ser necessária intervenção cirúrgica para melhora da qualidade de vida do paciente.

Boa alimentação e higienização ocular para prevenção de doenças das pálpebras

As principais doenças das pálpebras podem e devem ser prevenidas a fim de se evitar maiores transtornos para a saúde dos olhos. Veja algumas dicas.

Cuidados higiênico: 

  • Limpeza com produtos especiais para a higienização de lentes de contato, bem como o manuseio e utilização correta das mesmas;
  • Não compartilhamento de materiais de maquiagens, produtos e ferramentas como lápis de olho, rímel e curvex, pois estes podem ser transmissores de bactérias;
  • Evitar coçar os olhos com a mão, pois a pele dos dedos costumam conter bactérias em sua superfície.

Pessoa limpando os óculos de leitura para prevenis as Doenças das Pálpebras

Dieta balanceada com inclusão de alimentos ricos em:

  • Ômega 3 (peixes de águas geladas: salmão, atum e sardinha além da semente de linhaça);
  • Vitamina C ( laranja, limão, acerola e kiwi);
  • Ômega 6 ( sementes e óleos vegetais).

Salmão fatiado sobre uma mesa escura, exemplo de alimentação para prevenir doenças dos olhos

Como curar a inflamação nas pálpebras

O melhor método para curar inflamações que causam as principais doenças das pálpebras é procurar um oftalmologista imediatamente após o aparecimento dos sintomas. Evite a automedicação e tratamentos caseiros.

O médico fará o diagnóstico correto da doença e poderá indicar o tratamento adequado para cada situação. Portanto, não perca tempo ao detectar a presença de lesões ou inchaços nas pálpebras e procure rapidamente um oftalmologista. 

A COI disponibiliza um time de profissionais capacitados para diagnosticar e tratar as principais doenças na visão, para todas as idades. Não deixe de procurar um médico em caso de dores e infecções nos olhos. Agende pelo site.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Ricardo Filippo

Ricardo Filippo

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.

Comentários