O que fazer quando entrar cloro no olho

Crianças brincam na piscina e entra cloro no olho

Seja para aproveitar os dias quentes ou praticar natação, é importante ter cuidado ao entrar em piscinas para que o cloro no olho não prejudique a visão. 

Não importa se você quer apenas se refrescar ou praticar natação, entrar em piscinas exige certos cuidados, já que elas possuem alta concentração de químicos, e o cloro no olho pode ser um problema para a saúde da visão.

Ao ter contato com o cloro, você pode ter sua pele, cabelos e olhos afetados. Quando se trata de pele e cabelo o principal efeito é que eles ficam temporariamente secos. 

Já nos olhos os efeitos podem ser piores. Isso porque estamos falando de uma substância química que pode afetar a saúde dos olhos

Inclusive, não é incomum que as pessoas sintam queimação nos olhos após nadar. Além disso, também é comum notar vermelhidão nos olhos ou até coceira.

Felizmente, existem algumas maneiras de evitar que os olhos sejam prejudicados ao entrar em piscinas, bem como coisas que você pode fazer depois que nadar para ajudar a aliviar os sintomas. 

Dessa forma, você pode aproveitar o verão com segurança e evitar que sua visão seja prejudicada. 

Continue a leitura e descubra o que acontece se cair cloro no olho e como evitar que isso aconteça!

Tipos de problemas que podem acontecer devido ao cloro

O cloro de piscina no olho pode provocar diferentes problemas à visão. Isso acontece porque seus olhos possuem uma película lacrimal na córnea que atua como uma barreira que serve para impedir germes e bactérias. 

Contudo, o cloro é capaz de remover essa película lacrimal, o que faz com que os olhos fiquem mais vulneráveis a possíveis infecções. 

Leia também: Canal lacrimal entupido: Causas, Sintomas e Tratamento

Portanto, ao entrar cloro no olho, você pode ter as seguintes complicações:

1. Conjuntivite

A conjuntivite é uma infecção ocular que pessoas que costumam nadar com frequência podem contrair. 

Isso acontece porque a película lacrimal se desfaz e os germes entram no olho. Com isso, é possível ter conjuntivite provocada por vírus ou bactéria. 

Leia também: Conjuntivite em criança: o que fazer para lidar com ela

2. Olhos vermelhos e irritados

Se você ficar muito tempo na piscina e tomar sol, seus olhos podem ficar desidratados. 

Quando isso acontecer, você notará que seus olhos ficarão vermelhos e irritados. Além disso, como a película lacrimal foi removida, a sua visão pode ficar temporariamente distorcida ou turva. 

3. Ceratite por Acanthamoeba (Ceratite Amebiana)

Muitas pessoas não sabem, mas uma ameba é um organismo que além de viver também se espalha na água. 

A ameba pode provocar infecções graves nos olhos, especialmente se ficar presa entre o olho e as lentes de contato. 

Se isso acontecer, você pode sofrer com úlceras da córnea que podem danificar permanentemente sua visão.

Os problemas que citamos acima são apenas alguns que podem acontecer ao entrar cloro no olho. 

Vale destacar que os sinais típicos de infecção ocular incluem: 

  • Vermelhidão;
  • Dor;
  • Sensibilidade a luz;
  • Problemas de visão;
  • Coceira;
  • Inchaço.

No caso da ceratite amebiana, os sintomas são semelhantes, mas também costumam incluir lacrimejamento excessivo, bem como a sensação de que algo está no olho. 

Mas, será que cloro no olho cega? É importante deixar claro que não existe comprovação de que o cloro pode provocar cegueira. 

No entanto, quando o cloro entra em contato com os olhos pode provocar os problemas que citamos acima, o que pode gerar danos graves a longo prazo.

Como proteger os olhos ao entrar em piscinas

Sempre que for entrar em uma piscina, é muito importante que tome certas precauções, principalmente se você utilizar lentes de contato ou tiver olhos secos.

Dessa maneira, poderá aproveitar a piscina e manter a água e o cloro longe de seus olhos, o que também evita problemas na sua visão. 

Aqui estão algumas dicas para proteger seus olhos ao entrar em piscinas: 

1 – Cuidado ao utilizar lentes de contato

Se você utiliza lentes de contato, é melhor não utilizá-las ao nadar. No entanto, sabemos que nem sempre é possível fazer isso. 

Então, pelo menos remova as lentes após sair da piscina e faça a devida higienização delas com uma solução de limpeza. 

E o mais importante: não durma com suas lentes depois de nadar! Isso possibilita o crescimento de bactérias. 

Leia também: É recomendável nadar com lentes de contato?

Não abra os olhos embaixo da água

É comum que as pessoas se perguntem se faz mal abrir os olhos debaixo d’água. 

A resposta para esse questionamento é sim, abrir os olhos estando embaixo da água vai fazer com que entre cloro no olho e provoque os problemas que já citamos. 

Isso significa que, caso esteja apenas aproveitando um dia de sol na piscina, evite ao máximo abrir os olhos enquanto nada. 

Caso tenha um óculos de natação, sempre opte por utilizá-lo caso não consiga ou não queira ficar com os olhos fechados. 

Se você tem interesse em começar a praticar natação, saiba que o óculos é um dos itens solicitados durante as aulas.

Utilize colírios lubrificantes

Outro forma de prevenir os olhos do cloro na piscina é utilizando colírios lubrificantes. Ao fazer isso, você pode proteger a película protetora da córnea, além de também ajudar a reduzir a vermelhidão e a irritação. 

Caso sinta os sintomas citados acima, utilize o colírio logo após nadar para que possa reduzi-los o mais rápido possível. 

Se tiver dúvidas sobre qual colírio utilizar ou se os sintomas persistirem, sempre busque entrar em contato com um oftalmologista. 

O que fazer se entrar cloro no olho

Embora você já saiba o que deve fazer ao entrar em piscinas, pode ser que esteja se perguntando: “se caiu cloro no olho, o que fazer?”

Porém, se ao entrar ou sair da piscina os seus olhos ficarem vermelhos, com coceira, irritação ou queimação, existem algumas coisas que você pode fazer para obter alívio. 

Geralmente, o simples fato de lavar os olhos com água fria já ajuda a remover os irritantes e diminuir o problema. 

Você também pode optar por usar uma solução salina ou aplicar uma compressa fria nos olhos. 

Contudo, se os sintomas se tornarem frequentes, mesmo utilizando óculos de proteção, é muito importante falar com um oftalmologista e realizar um exame oftalmológico.

Procure por oftalmologista

Quando os sintomas se tornam frequentes, ou se existir uma infecção no olho provocada pelo cloro e ela não for tratada de forma correta e rápida, sua retina pode ser prejudicada. Com isso, sua visão pode ser afetada a longo prazo. 

O cloro definitivamente faz mal para os olhos, mas isso não quer dizer que você deve parar de aproveitar as piscinas, seja para se divertir ou praticar natação. 

O importante é que certifique-se de tomar as preocupações que citamos para evitar que infecções oculares relacionadas ao cloro aconteçam.

Além disso, sempre que necessário, realize check-up oftalmológico ou procure por um médico ao perceber que os sintomas não passam, como a vermelhidão ou coceira, por exemplo. 

Na COI (Clinica de Oftalmologia Integrada) você conta com profissionais capacitados, que estão prontos para te consultar e recomendar os melhores tratamentos para manter sua visão saudável. Aproveite para agendar a sua consulta! 

Dr. Ricardo Filippo

Dr. Ricardo Filippo

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Para mais informações sobre sua experiência na área, clique aqui.

Comentários