O que são moscas volantes e como afetam sua visão?

escotomas, moscas volantes podem representar descolamento posterior de vítreo

As moscas volantes são pequenas manchas ou pontos flutuantes na visão. Conhecer os sintomas, causas e tratamentos dessa condição ocular é fundamental para entender como ela funciona.

As moscas volantes são queixas comuns no consultório de oftalmologia. Embora o nome dessa condição ocular não seja muito conhecido, seus sintomas são registrados desde a antiguidade. 

Na Roma Antiga, por exemplo, já havia relatos das chamadas “muscae volitantes”, pequenas manchas que se movimentam no campo visual. 

Apesar de ser assustadora, essa condição nem sempre é motivo de preocupação. Afinal, geralmente, esse problema não está associado a causas graves, nem impactam a qualidade de vida do seu portador.

No entanto, existem situações em que o aparecimento dessas manchas pode estar associado a outros problemas oculares. Por isso, é importante entender as principais características desses pontos flutuantes na visão.

Neste artigo, explicaremos o que são essas moscas volantes, quais as suas causas e sintomas, e como tratar e prevenir essa condição ocular.

O que são moscas volantes?

As moscas volantes são alterações caracterizadas por manchas escuras em diferentes formatos, como círculos, pontos, linhas, que surgem no campo de visão. 

Na prática, a pessoa diagnosticada com essa condição enxerga pontos flutuantes, partículas, sujeira e até insetos quando olham fixamente para algum local. 

Essas manchas se movimentam no campo visual, principalmente quando a pessoa olha para paredes brancas ou para o céu azul por um longo tempo. 

O que pode causar moscas volantes?

Apesar de criar a impressão de que as manchas estão na frente do olho, as moscas volantes são resultados de uma alteração no globo ocular, preenchido de gel vítreo. 

Normalmente, esse gel vítreo é uma substância transparente, permitindo que a luz alcance a retina. No entanto, pode ocorrer a formação de grumos nesse gel, gerando sombras sobre a retina. Essas sombras são as moscas volantes.

Esses grumos ou pequenos coágulos podem ser formados por diversos motivos. O principal motivo para a formação desses grumos é a contração do gel vítreo, que pode ocorrer naturalmente com o envelhecimento. 

Com o avanço da idade, esse gel vítreo tende a ficar mais líquido e se soltar da retina em alguns pontos. Ou seja, esse processo provoca o descolamento vítreo em algumas regiões. 

Além disso, as moscas volantes também podem surgir após hemorragias oculares causadas por traumas, infecções e processos inflamatórios. 

O problema também pode aparecer quando ocorre alguma ruptura da retina. Isso provoca o sangramento no meio do gel vítreo, gerando as moscas volantes.

Vale lembrar que nem sempre as moscas volantes dificultam a visão. Isso acontece apenas quando os grumos passam pela linha de visão, bloqueando a passagem de luz e gerando sombras.

Como esse problema pode ter diversas causas, é importante visitar o oftalmologista para que ele identifique o que está por trás da formação das moscas volantes.

Quais os sintomas das moscas volantes?

O principal sintoma das moscas volantes é o aparecimento de pontos ou manchas escuras na visão. Isso causa desconforto, principalmente durante a leitura ou qualquer outra atividade que exija foco em algum objeto. 

Caso o aparecimento desse sintoma se torne mais frequente, atrapalhando a visão e a qualidade de vida da pessoa, é importante ficar atento. 

Esse súbito aumento das manchas pode ser acompanhado por outros sinais preocupantes, como fotopsia (flashes de luz), perda da visão lateral e maior cansaço nos olhos.

Geralmente, isso ocorre por conta do agravamento da causa da mosca volante, que pode gerar várias complicações. Nesses casos, é fundamental buscar um oftalmologista para analisar a gravidade e a situação dos olhos e do vítreo.

Complicações associadas as moscas volantes

O aumento da dificuldade de enxergar em função das moscas volantes pode estar associado a complicações mais sérias. 

Confira abaixo quais são essas complicações e suas características:

  • Deslocamento de retina total ou parcial;
  • Buracos ou rasgos na retina;
  • Catarata;
  • Inflamações mais sérias, como uveítes;
  • Hemorragias (sangramentos) na cavidade vítrea.

Investigar essas complicações é fundamental para diagnosticar a causa das moscas volantes e iniciar o tratamento correto desse problema.

Quem tem mais risco de desenvolver moscas volantes?

As moscas volantes podem surgir em qualquer pessoa. No entanto, sua ocorrência aumenta em função do processo natural de envelhecimento. Por esse motivo, ele é mais frequente em pessoas acima de 45 anos. 

Além disso, quem tem miopia, fez cirurgia de catarata ou que apresenta algum processo inflamatório no olho também tem mais chance de desenvolver esse problema.

Como o diagnóstico é feito desse problema?

O diagnóstico das moscas volantes só pode ser feito por um médico oftalmologista. O especialista analisa o quadro clínico do paciente e pode solicitar a realização de alguns exames para identificar a causa dessa condição ocular. 

Geralmente, um simples exame do fundo de olho, também conhecido como mapeamento de retina, pode ser suficiente para descobrir a causa das moscas volantes. Se o oftalmologista achar necessário, também pode solicitar um ultrassom ocular.

Como é o tratamento das moscas volantes?

O tratamento dessa condição ocular varia de acordo com o diagnóstico do paciente. Se o oftalmologista não encontrar uma alteração grave no olho, nenhum tratamento é necessário.

No entanto, algumas medidas simples são indicadas quando as manchas escuras incomodarem muito a visão. 

No caso desses pacientes sem nenhuma alteração grave, basta o olho de um lado para o outro e de cima para baixo por alguns minutos, até retirar os grumos do campo visual. 

Porém, se as moscas volantes causarem um desconforto intenso e comprometimento frequente da visão, o oftalmologista pode indicar algum tratamento cirúrgico. 

Nesses casos, o tratamento consiste na retirada e troca do gel vítreo (vitrectomia) ou destruição a laser dos grumos (terapia a laser).

É importante ressaltar que o aparecimento e piora desse problema pode estar associado a alguma complicação grave.

Nesses casos, o oftalmologista deve realizar o tratamento dessa complicação para resolver as moscas volantes e impedir a sua evolução.

Se o paciente for diagnosticado com um rasgo na retina, por exemplo, será necessário selar a região com laser ou crioterapia. Dessa forma, é possível impedir que a lesão não expanda e provoque um descolamento de retina.

Como prevenir o desenvolvimento de moscas volantes?

Nem sempre é possível prevenir o desenvolvimento de moscas volantes, já que essa condição está ligada ao processo de envelhecimento. 

No entanto, existem alguns cuidados que podem reduzir os riscos associados a outras causas dessa condição ocular. 

Confira abaixo alguns desses cuidados.

Proteja seus olhos

As lesões ou traumas oculares podem provocar o desenvolvimento de moscas volantes e suas complicações. Por isso, é importante investir em recursos que protejam os olhos e evitem esses problemas. 

Utilizar óculos de proteção, por exemplo, é importante para prevenir traumas durante a prática de atividades esportivas ou trabalhos que envolvam riscos para os olhos.

Faça o tratamento adequado para outras condições médicas 

Doenças sistêmicas como diabetes, hipertensão e doenças oculares hereditárias podem aumentar o risco de problemas oculares, como a catarata. Esses problemas podem estar associados a causas graves das moscas valentes. 

Por esse motivo, fazer o tratamento correto para essas doenças e mantê-las sob controle pode ajudar a prevenir o desenvolvimento das moscas volantes.

Mantenha hábitos saudáveis

Cuidar da saúde do corpo e da mente é essencial para proteger a saúde ocular e evitar o desenvolvimento de problemas como as moscas volantes. 

Para isso, é essencial adotar alguns hábitos saudáveis, como se manter hidratado, praticar alguma atividade física e consumir alimentos que fazem bem para os olhos. 

Além desses cuidados, é fundamental abandonar o cigarro e reduzir o consumo excessivo de álcool, já que esses hábitos são considerados nocivos à saúde dos olhos.

Faça visitas regulares ao oftalmologista

Fazer consultas regulares ao oftalmologista é fundamental para monitorar a saúde ocular e fazer o diagnóstico precoce de quaisquer problemas nos olhos. 

Por isso, a recomendação é visitar o oftalmologista ao menos uma vez por ano para fazer avaliar a saúde ocular e discutir qualquer preocupação sobre esse assunto.

Vale lembrar que em caso de aparecimento de qualquer sinal ocular incomum, é importante consultar um oftalmologista imediatamente para identificar o problema e iniciar o tratamento necessário. 

Isso é fundamental para preservar sua capacidade visual e garantir sua qualidade de vida!

Ficou com alguma dúvida ou precisa de um atendimento especializado? Entre em contato com a equipe da Clínica de Oftalmologia Integrada e agende já sua consulta! 

Banner com botão para agendar sua consulta.
Dr. Ricardo Filippo

Dr. Ricardo Filippo

CRM: 5281096-7 | RQE: 17512. Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Durante sua vida acadêmica, participou de dezenas de congressos e simpósios, no Brasil e no exterior, e ministrou diversas aulas sobre Oftalmologia. Veja informações sobre sua experiência na área.
Mulher sorrindo usando o computador de óculos

O que é a falsa miopia?

A falsa miopia é um problema ocular que afeta de forma temporária a capacidade da pessoa enxergar objetos distantes. Veja quais os sintomas dessa condição

Imagem de um teste de diabetes sendo realizado na mão

Como a diabetes pode afetar a visão?

A diabetes afeta a visão quando o nível de glicose do sangue está alto, provocando alterações oculares que podem causar o desenvolvimento de doenças como

Comentários